Breadcrumbs

Por que o casamento é tão difícil?

Data26, junho 2017
Autortalkzdigital
Categorias

Por que o casamento é tão difícil?

Casamento deveria ser algo fácil, afinal, nos casamos quando estamos apaixonados e vivenciar essa paixão é talvez um dos melhores prazeres da vida. Mas depois de desfrutar dessa experiência, pensamos que ficar sozinho à noite não tem mais graça, dormir em camas separadas é ruim, afinal ver o outro partir dói.

Se estar apaixonado nos causa prazer, pensamos em estar juntos o tempo todo e temos a ideia de que o casamento será a solução de nossos problemas, certo? Então, por que casamento é tão difícil? Por que se relacionar, conviver com outros é tão complicado?

Simples, porque estamos concentrados em nós mesmo e não no outro ou até mesmo no relacionamento em si. Esforçamos-nos ao máximo para vencermos na vida, não medimos esforço quando queremos alcançar o sucesso profissional, investimos em graduação. Dedicamos horas, recursos e abdicamos de muito, mas quando se diz respeito a se relacionar, qualquer curso é caro e demora tempo demais.

A primeira grande diferença que percebo é que as pessoas verdadeiramente apaixonadas tendem a se concentrar nas qualidades positivas de seu amado (a), ignorando seus traços negativos. Mas após o casamento, fazemos questão de deixar claro tudo que o outro faz ou tem de errado. Parece uma competição insana, onde ganhar, na verdade significa perder: tempo de qualidade, carinho, ou até mesmo a simples satisfação de ter uma boa conversa.

No início do relacionamento é normal que os pares apaixonados se dediquem a manifestar seus sentimentos, mas com o passar do tempo muitos se esquecem de renovar os votos de amor que selaram a união. Um dos grandes motivos para o desgaste dos casamentos é, sem dúvida, a desatenção em relação às necessidades do outro, que acaba se sentindo rejeitado.

Segundo a escritora Rachel de Castro, o psicólogo Jed Diamond descobriu os estágios do amor. Ele trabalhou como terapeuta de casais e famílias por mais de 40 anos e reparou que o amor tem 5 fases e que a maioria das pessoas para na terceira fase e vai à procura de um novo amor, por acreditar que o relacionamento anterior não deu certo.

Os seres humanos foram criados para ser amados e a maioria de nós almeja alguém para envelhecer junto e dividir momentos importantes de nossas vidas. Mas o mais contraditório é que não estamos dispostos a dar, apenas receber.

Uma vez vi uma frase assim: “O homem nasceu para ajudar o próximo, mas todos querem ser o próximo e não o homem”. Era uma campanha para doação, mas vejo que ela reflete bem a análise de relacionamentos.

O Dr. Jed explica que as pessoas não estão dispostas a passar para o terceiro estágio, por isso temos tantos divórcios. E, o que costumo ouvir é que, se separaram porque acreditaram que estavam com a pessoa errada, e sua convicção é tanta que preferem começar do zero ao lutar pelo amor que tinham.

As primeiras três fases talvez sejam conhecidas por muitos: Apaixonar-se, Tornar-se um casal e se desiludir.

A fase do se APAIXONAR é quando o outro é tão sublime que você não consegue se imaginar sem ele (a). Inconscientemente acreditamos que aquela pessoa irá satisfazer nossos desejos e completar nossa vida.

No segundo estágio é quando dois vira um, torna-se o tão sonhado CASAL. Normalmente é nessa fase que ocorre o casamento e a construção da família. E coisas como: convivência, filhos e outras adversidades fazem o “amor” ser questionado. O casal ou se une ou se questiona e muitas vezes o relacionamento entra em decadência, pois o amor ❤ acaba.

Mas o que é amor? Sentimento ou decisão? Bom isso será nosso próximo post. Voltemos aos estágios!

O terceiro estágio é o da DESILUSÃO. É a fase onde tudo que o outro faz é extremamente irritante, até mesmo coisas que antes eram “fofas” agora te envergonha. O resultado é que cada um exigi mais e doa menos, conseqüentemente se sentindo menos amado. Normalmente uma das partes, ou ambas mudaram o número do guarda roupa e a sensação é de estarem presos numa armadilha e por isso o cérebro passa a criar estratégias para fugir e não para concertar, sabe por que? Porque o erro é sempre do outro.

Em seguida vem a justificativa da separação, afinal eu quero ser feliz e quero que o outro também seja, certo? ERRADO! Desistir sem lutar de verdade nunca foi caminho para alcance de nenhuma meta. E muitas vezes, acreditamos estarmos lutando quando na verdade estamos só lamentando e presos em circunstâncias viciosas. Por isso que uma das partes ou ambas decidem se separar.

O Dr. Jed explica que essa fase pode apenas parecer um “inferno”. Mas ela é, na verdade, muito importante para o relacionamento. É a oportunidade que o casal tem de queimar todas as ilusões que tem um do outro e aprender a amar verdadeiramente. É quando eles param de amar as “projeções” que têm e amam a pessoa com quem se casaram.

No estágio 4, fase onde CRIAM AMOR REAL E DURADOURO é quando o casal percebe o que causa dor e conflito nas relações. Aqui eles se tornam aliados e tentam se ajudar, se comprometem e tornam cúmplices desenvolvendo o que de fato um relacionamento precisa: ACEITAÇÃO.

A aceitação do outro faz com que ambos criem um amor tão forte que os fazem curar qualquer trauma ou medo. Eles aceitam o parceiro exatamente da maneira que são.

No quinto estágio, o casal USA O PODER DE DOIS PARA MUDAR O MUNDO. Nessa fase eles já estão maduros o suficiente para resolverem os problemas, independente da fase e aprendem que não vão mudar nada a não ser que mudem a si mesmo primeiro.

E eu lhe pergunto: Em qual fase você está? O quanto você está disposto a investir nesse relacionamento? O quanto custa desistir?

Mas a mais importante para alcançar a fase 4, a ACEITAÇÃO é: O que devo e posso fazer para me aceitar e para aceitar o outro?

Conheça meu curso: ENEAGRAMA: Diferentes, mas unidos! E tome o primeiro passo!

Voltar